UNIVERSIDADE DE BLUMENAU PESQUISA HÁBITOS DE USO DA BICICLETA ENTRE ESTUDANTES

UNIVERSIDADE DE BLUMENAU PESQUISA HÁBITOS DE USO DA BICICLETA ENTRE ESTUDANTES

Alunos da Universidade Regional de Blumenau (FURB), em Santa Catarina, dos projetos de extensão “Focus” e “Ciclismo e Desenvolvimento Regional Sustentável” desenvolveram a pesquisa Bike Jovem Universitário, que estuda o uso da bicicleta no contexto da mobilidade urbana nos municípios do Vale do Itajaí.

O trabalho tem por objetivo entender os hábitos de uso da bicicleta entre os seus alunos e saber quantos estudantes universitários têm bicicleta? Com que frequência eles pedalam? Os ciclistas passeiam sozinhos ou acompanhados?

O primeiro questionário sobre o tema recebeu 461 universitários respondentes, com 58,8% do gênero feminino, 39,7% masculino e 1,5% de outros gêneros. A coleta de dados da pesquisa foi feita em junho de 2023, e tem a margem de erro de 4,49 pontos percentuais.

O levantamento revelou que 42,7% dos estudantes possuem bicicleta, mas apenas 7,6% a utilizam frequentemente. Na maioria das vezes, eles pedalam sozinhos (27,4%) e usam a bicicleta para lazer e recreação (40,3%). Os resultados foram apresentados na Mostra Integrada de Ensino, Pesquisa, Extensão e Cultura (MIPE).

Os estudantes que responderam a pesquisa apontaram alguns fatores que, segundo eles, inibem a utilização da bicicleta como meio de transporte. O maior problema apontado é a preocupação com a falta de segurança, risco de acidentes, desrespeito por parte dos motoristas, juntamente com a falta de infraestrutura e de iluminação pública adequada.

No lado positivo, a maioria dos entrevistados aponta benefícios para a saúde física e mental, a economia de dinheiro em comparação com outros meios de transporte, a contribuição para a sustentabilidade ambiental, a facilidade de deslocamento mais rapidamente e a sensação de liberdade e independência, entre outros motivos que favorecem o ciclismo.

“Na pesquisa com os estudantes alguns dados se destacam. A maioria dos entrevistados tem bicicleta, porém a frequência do uso é baixa, precisamos saber por que isso ocorre. Na maioria das vezes as pessoas pedalam por prazer ou por esporte, enquanto o uso da bicicleta como meio de transporte ocorre com menos frequência”, relata o professor Clóvis Reis, coordenador da pesquisa.

O projeto é um trabalho mais amplo do professor, com análises de diferentes enfoques da relação da bicicleta com a mobilidade urbana e desenvolvimento regional. “A insegurança nas ruas e a falta de infraestrutura adequada são as principais causas de desmotivação para o uso da bicicleta. Já a motivação para o uso dela, vem dos benefícios físicos, mentais e ambientais”, detalha Clóvis.

Em outra pesquisa em andamento, o professor analisa a contribuição de aplicativos de dispositivos móveis, como smartphones e tablets, para identificar os hábitos dos ciclistas e, assim, desenvolver políticas públicas que se ajustem às preferências e necessidades dos usuários.

A iniciativa conta com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (FAPESC), que aprovou o financiamento da pesquisa em um edital destinado às universidades da Associação Catarinense das Fundações Educacionais (ACAFE). 

A pesquisa sobre os hábitos de ciclismo com os estudantes universitários foi realizada em parceria com o projeto Focus do curso de Publicidade e Propaganda da FURB, iniciativa que a cada semestre estuda diferentes aspectos da realidade regional.

“Ao integrar os projetos, criamos um ambiente propício para o compartilhamento de conhecimentos e experiências, possibilitando a geração de resultados que contribuem tanto para a academia quanto para a comunidade em que estamos inseridos”, destacou a professora Fabrícia Durieux Zucco, que viabilizou a parceria para realização do estudo.

foto: Freepik

(FURB - Fundação Universidade Regional de Blumenau)

Admin

03 Outubro 2023

Mobilidade

Comentários

Destaque

Mais um evento do setor é postergado a causa do novo coronavírus O Sea Otter Classic, realizado em Monterey, na California passa de abril o mês de outubro.