RELATÓRIO DA AGÊNCIA EUROPEIA DO MEIO AMBIENTE APONTA: PEDALAR AINDA É UMA OPÇÃO MUITO MAIS ECOLÓGICA DO QUE OS PATINETES ELETRO-ELETRÔNICOS

RELATÓRIO DA AGÊNCIA EUROPEIA DO MEIO AMBIENTE APONTA: PEDALAR AINDA É UMA OPÇÃO MUITO MAIS ECOLÓGICA DO QUE OS PATINETES ELETRO-ELETRÔNICOS

 

O crescente uso de patinetes elétricos e serviços de carona está transformando a maneira como nos movemos nos centros urbanos - mas caminhar, andar de bicicleta e transporte público continuam sendo a melhor maneira de melhorar a mobilidade sustentável nas cidades, de acordo com um relatório da Agência Europeia do Ambiente (EEA) publicado no início do mês de fevereiro. O informe sobre os impactos ambientais e climáticos dos transportes conclui que as emissões de gases de efeito estufa dos transportes continuam a aumentar, à medida que a demanda por mobilidade na Europa continua crescendo.

O relatório ainda aponta que, apesar da ascensão dos aplicativos de compartilhamento de patinetes eletro-eletrônicos e de carona em países onde eles estão legalizado,  a bicicleta, caminhada e o transporte público continuam a sendo as melhores maneiras de melhorar a mobilidade sustentável nas cidades.

A Agencia Europeia do Ambiente (EEA-European Environment Agency)  explica: “Os esquemas de compartilhamento de patinetes eletrônicos parecem atrair usuários que, de outra forma, teriam feito seus trajetos caminhado ou usado transporte público. Embora o uso de patinetes elétricos compartilhadas gere poucos impactos ambientais diretos, suas credenciais ecológicas podem ser questionadas pelos impactos negativos substanciais associados a seus materiais, fabricação e coleta frequente para fins de recarga. Da mesma forma, estudos mostram que aplicativos de carona como Uber ou Lyft fazem pouco para reduzir emissões ou congestionamentos e realmente afastam as pessoas do transporte público”.

A Agência  também constatou que as emissões provenientes do transporte continuaram a aumentar em toda a Europa e reitera que, para viagens curtas pela cidade, andar de bicicleta e caminhar “oferece os maiores benefícios para a saúde humana e o meio ambiente nas áreas urbanas”

O relatório ainda aponta: "A mudança para caminhadas, ciclismo e transporte público será crucial para que a Europa cumpra suas metas e objetivos de sustentabilidade de longo prazo no âmbito do Acordo Verde Europeu proposto pela Comissão Europeia em dezembro de 2019".

Outras informações apontadas no relatório:

  • Em 2018, as emissões médias de dióxido de carbono (CO² ) dos automóveis novos de passageiros aumentaram pelo segundo ano consecutivo, atingindo 120,4 g de CO² por quilômetro. Os carros a gasolina estão ultrapassando os carros movidos a diesel nas vendas de carros novos, mas o consumo total de diesel continua aumentando. As emissões médias de CO² de novas vans começaram a seguir uma tendência ascendente semelhante em 2018.
  • As emissões de gases de efeito estufa da aviação aumentaram os modos de transporte mais rapidamente - em média mais de 3% a cada ano desde 2013. As emissões de gases de efeito estufa do transporte internacional aumentaram 5% em 2 anos (2015-2017).
  • A parcela de energia renovável usada para transporte na UE aumentou de 7,4% em 2017 para 8,1% em 2018. Isso está bem abaixo da meta da UE de 10% estabelecida para 2020.
  • Mais de 27% dos cidadãos europeus estão expostos a níveis de ruído de transporte de 55 decibéis (dB) ou mais, incluindo 15-20% apenas para o ruído do tráfego rodoviário.

Fotos: Visual Hunt / Divulgação

(Fonte: European Environment Agency)

Admin

07 Fevereiro 2020

Mobilidade

Comentários

Destaque

A Eurobike passa por um reposicionamento, de um show voltado para o varejista / revendedor em uma feira mais direcionada para o setor. Um reposicionamento provocado pela saída de grandes montadoras/fabricantes de bicicletas