Porto Alegre: EPTC realizou debate para implantação de ciclorrotas na cidade

Porto Alegre: EPTC realizou debate para implantação de ciclorrotas na cidade

A Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) de Porto Alegre estuda a criação de ciclorrotas localizadas em vias de fluxo menos intenso e com velocidade máxima permitida de 40 km/h, essas rotas servirão de apoio à rede cicloviária já existente na capital gaúcha.  O novo projeto foi apresentado, e debatido com ciclistas em dezembro do ano passado, em encontro na sede da EPTC, com a previsão de implantação ao longo deste ano. Além de entidades vinculadas diretamente aos ciclistas, e da presença de técnicos de diversos setores da EPTC, a reunião também contou com a participação de representantes do Detran. 

A implantação das ciclorrotas leva em consideração dados coletados pela Gerência de Projetos de Estudos da Mobilidade da EPTC que vão de encontro ao interesse demonstrado nos deslocamentos de ciclistas nas mais diversas regiões da cidade. Nesse projeto também estão sendo avaliados dados referentes a acidentes envolvendo ciclistas. “A criação das ciclorrotas objetiva, a partir de sinalização específica, melhorar as condições de segurança nos espaços onde a circulação já é compartilhada entre motoristas e ciclistas. Ela indica a presença e reforça a preferência das bikes sobre os demais veículos”, explica a gerente de Projetos de Estudos de Mobilidade da EPTC (GPEM), engenheira Alessandra Both.

Para a  geógrafa Tielle Dias, da GPEM, é muito importante  a participação efetiva dos ciclistas na criação deste projeto: “O projeto ganha mais consistência com a participação efetiva da comunidade dos ciclistas e da população em geral. É fundamental este envolvimento de todos para a construção de uma rede realmente significativa, que contemple as necessidades reais dos ciclistas

fotos: Natália Mingotti e Alessandra Both/Divulgação PMPA 

(Fonte: EPTC-POA)

Admin

09 Janeiro 2017

Mobilidade

Comentários

Destaque

Mais ciclistas nas ruas, mais quilômetros de ciclofaixas e o resultado direto repercutiu nas vendas e lojas especializadas de Niterói, aonde a crise não se fez sentir com intensidade, pelo contrário, as bicicletarias, segundo aponta o jornal O Globo, tiveram aumento nas vendas