PLANO DE CICLOMOBILIDADE +BIKE TEM COMO META AMPLIAR 50% DAS CICLOVIAS E CICLOFAIXAS DE BRASILIA

PLANO DE CICLOMOBILIDADE +BIKE TEM COMO META AMPLIAR 50% DAS CICLOVIAS E CICLOFAIXAS DE BRASILIA

O novo programa de ciclomobilidade do Distrito Federal, foi apresentado no último mês de agosto e prevê a ampliação da infraestrutura cicloviária, do sistema de bicicletas compartilhadas e a integração entre modais de transporte, além de tecnologias que vão auxiliar as ações de conscientização e educação para ciclistas e motoristas.

O plano recebeu o nome de +Bike e prevê a ampliação de 50% na malha cicloviária com a construção de 218 quilômetros de ciclovias e também inclui a instalação de 3 mil paraciclos em todo o Distrito Federal e de dez bicicletários em terminais do sistema de transporte público coletivo. Cada um deles terá capacidade de 30 a 50 vagas. De uso gratuito, bastará que o usuário leve um cadeado para prender a bicicleta no local. Cada empresa de ônibus que opera na cidade ficará responsável pela instalação de dois bicicletários. Até 2022, o plano prevê ampliar para 1,2 mil quilômetros o alcance das ciclovias de Brasília.

O investimento público será de R$ 20 milhões, sem contar os valores aplicados em 72km de projetos já em andamento, como a ciclovia da Estrada Parque Taguatinga (EPTG), a do Lago Oeste, a do Trevo de Triagem Norte e a da Ligação Torto-Colorado.

O sistema de compartilhamento de bicicletas será ampliado, em breve serão entregues mais cinco na UnB e três na Praça dos Três Poderes, no total o sistema passa a ter 45 estações. O plano prevê ainda a distribuição de mais 60 bicicletas em regiões administrativas que ainda não têm estações, como Samambaia, Ceilândia, Taguatinga, Guará e Águas Claras, além de outras 150 bicicletas integradas aos terminais do BRT (Gama, Santa Maria e Park Way). Os terminais de BRT de Santa Maria, do Gama e do Park Way . A licitação para os testes do compartilhamento integrado ao BRT ainda está em fase de finalização. A ideia é que os usuários fiquem com as bicicletas por um período de até 12 horas.

O aplicativo para utilização das bicicletas recebeu uma atualização. Entre as mudanças, está a cobrança de tarifa diária de R$ 3 e de R$ 6 por mês, além da tarifa anual de R$ 10, o que pode ser uma opção para turistas ou para aqueles que querem usar a bicicleta por menos tempo. Mais e 708 mil viagens foram realizadas nos últimos três anos com o sistema de compartilhamento de Brasília. F

Fotos: Agência Brasília

(Agência Brasília)

Admin

04 Setembro 2017

Mobilidade

Comentários

Destaque

Um engenheiro italiano desenvolveu um protótipo de uma bicicleta com rodas sem raios que pode ser dobrada como se fosse um guarda-chuvas. Feita de alumínio, a bicicleta foi criada por Gianluca Sada, que patenteou o sistema inovador de aros que dispensa os tradicionais raios das rodas comuns de bicicletas e motocicletas