NOVAS ROTAS PARA BICICLETAS ESTÃO EM ESTUDOS NA CIDADE DE BAURU

NOVAS ROTAS PARA BICICLETAS ESTÃO EM ESTUDOS NA CIDADE DE BAURU

A cidade de Bauru implementará até abril de 2018 seu plano de mobilidade, em paralelo está sendo desenvolvido um novo projeto para a ciclomobilidade que beneficiará os cidadãos que utilizam a bicicleta como modal


A cidade de Bauru, município mais populoso do centro-oeste paulista, está debatendo seu novo plano de mobilidade e a bicicleta ganhou destaque nos debates. Atualmente a cidade conta com cerca de 11 km de ciclovias, 30 km de ciclofaixas que incluem as de lazer e as de uso diário e ainda uma rede de ciclorrotas já implantadas.
Com informações de diagnósticos realizados desde 2011, um grupo formado por ciclistas e cicloativistas em conjunto com a Secretaria Municipal de Planejamento (Seplan) vem realizando reuniões para a elaboração de um novo projeto para a cidade.
"As estruturas que nós temos na cidade ajudam muito quem precisa, mas ainda não são muito seguras e não estimulam novos usuários", comenta Ellen Beatriz Fonseca, coordenadora do grupo de trabalho. Ainda segundo Ellen, "No mundo ideal, as bicicletas poderiam andar tranquilamente nas ruas dividindo espaço com os carros, mas sabemos que isso não faz parte da nossa cultura e temos que forçar os motoristas de carros entenderem que o ciclista também tem direito a esse espaço. Para isso, a gente precisa das ciclovias".
O grupo vem discutindo nos encontros, ruas e caminhos alternativos para solucionar os problemas encontrados que variam de falta de sinalização a vias muito estreitas. "A intenção é substituir as ciclofaixas pelas ciclovias. Nós estamos projetando o ideal para a cidade. Agora, como será executado, dependerá da verba cedida e dos recursos que o projeto conseguirá. Mas nós estamos planejando o melhor em termos de mobilidade para os ciclistas", afirma a coordenadora do projeto
Além de dar mais segurança para o tráfego dos ciclistas, o projeto visa melhorar os ambientes e promover revitalização para tornar o caminho mais atrativo para as pessoas, inclusive pedestres. "Não é só colocar a ciclovia para ser apenas uma passagem, mas criar estruturas para que pedestres também possam usufruir. É como a ciclovia da Octávio Rasi, por exemplo. Ela existe, mas as pessoas, às vezes, optam por outros caminhos, por ela ser um trecho pouco atrativo. É importante que o projeto também atenda os pedestres e revitalize os pontos da cidade", destaca o cicloativista Fábio Eduardo da Silva, integrante do Pedala Bauru. Segundo ele, o plano ideal seria que as ciclovias se comunicassem com trechos da cidade que dessem acesso à pontos de ônibus, praças, parques e outras áreas de lazer. "Isso vem de projetos que vem sendo executados pelo mundo todo, inclusive na América Latina, que é uma visão diferente de tentar humanizar a cidade. Assim, criam-se espaços que são mais convidativos para as pessoas, senão não adianta, elas continuarão usando o que elas usam hoje", justifica.
O projeto que prevê a substituição do mapa atual de ciclovias e ciclofaixas da cidade será apresentado na Câmara no próximo dia 15 de agosto. A partir disso, o projeto aguardará recursos para ser implementado.

(JC Net)

Admin

07 2017

Mobilidade

Comentários

Destaque

Banco Itaú e Compartibike lançam a plataforma iBike - uma loja virtual que disponibiliza bicicletas para uso urbano