MUNDIAL DE CICLISMO COM PRATICAMENTE TODAS AS MODALIDADES, REVELA IMPACTO SOCIOECONÔMICO POSITIVO PARA AS COMUNIDADES ENVOLVIDAS

MUNDIAL DE CICLISMO COM PRATICAMENTE TODAS AS MODALIDADES, REVELA IMPACTO SOCIOECONÔMICO POSITIVO PARA AS COMUNIDADES ENVOLVIDAS

A União Ciclista Internacional (UCI) publicou no início de fevereiro, o relatório  produzido pela EY - Ernst & Young -  apresentando o impacto econômico extremamente positivo do primeiro grande Campeonato Mundial de Ciclismo da UCI - realizado de 3 a 13 de agosto de 2023 – tendo como cidade anfitriã Glasgow, Escócia, no Reino Unido.

O Campeonato Mundial de Ciclismo UCI de 2023, foi o maior evento de ciclismo já organizado, reunindo 13 Campeonatos Mundiais UCI de diferentes disciplinas na mesma região durante 11 dias e teve a participação de 7.100 ciclistas de 131 países.

O ‘supermundial’ combinando todas as modalidades do ciclismo será realizado a cada 4 anos, um ano antes dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Verão. O próximo Campeonato Mundial de Ciclismo da UCI será realizado na região da Alta Saboia (Haute-Savoie), França, em 2027.

A edição de 2023 teve uma ampla cobertura televisiva sendo transmitida por 93 canais de 130 países, totalizando 14 mil horas de programação, 200 milhões de horas vistas em todo o mundo e atraiu mais de 80 milhões de telespectadores só na Europa.

Segundo o relatório da EY, quase um milhão de espectadores compareceram aos diferentes locais nas 14 localidades que sediaram as provas para assistir às competições. Um terço deles eram pessoas de fora da Escócia, incluindo quase 90 mil de fora do Reino Unido.

O Campeonato Mundial de Ciclismo da UCI de 2023 trouxe benefícios econômicos significativos, gerando mais de 205 milhões de libras (R$ 1.286 bilhão) em atividade económica para a Escócia, com o equivalente a 5.285 empregos criados ao longo de um ano.

O evento também se destacou por suas contribuições para uma sociedade mais sustentável. Estas incluíram a promoção da inclusão e da acessibilidade, o incentivo às viagens ativas (deslocamentos em bicicleta ou caminhadas), a instilação de um sentimento de orgulho cívico entre os residentes escoceses e a facilitação do investimento sustentável nas comunidades envolvidas. Os números a seguir demonstram o sucesso do evento nas áreas mencionadas:

97% dos visitantes classificaram o Campeonato Mundial da UCI como inclusivo;

40% dos visitantes eram mulheres;

82% dos visitantes utilizaram meios de transporte ativos;

79% dos residentes escoceses afirmaram que pretendiam pedalar mais;

95% dos residentes escoceses disseram estar orgulhosos de ver a sua região acolher o evento;

Mais de £6 milhões investidos até à data em todas as 32 autoridades locais;

93% dos stakeholders afirmaram pretender dar continuidade às iniciativas desenvolvidas no âmbito dos Campeonatos Mundiais da UCI.

A sustentabilidade também esteve no centro do Campeonato Mundial de Ciclismo da UCI de 2023, através de medidas como a assinatura do Acordo das Nações Unidas sobre o Desporto para a Ação Climática, a medição da pegada de carbono do evento, a implementação de um plano de gestão de resíduos, a utilização de fontes de energia renováveis ​​sempre que possível, a tomada de medidas padrões de sustentabilidade em consideração na escolha de fornecedores e na implementação de uma série de iniciativas ambientais e de biodiversidade a nível local.

De acordo com o relatório da EY:

86% dos participantes no evento consideram que os Campeonatos Mundiais da UCI foram organizados de forma amiga do ambiente;

35% das Federações Nacionais participantes pretendem compensar a pegada de carbono das suas viagens para os Campeonatos Mundiais da UCI.

45% da frota de veículos utilizadas era elétrica o hibrida

35% dos veículos utilizados pelas equipes de trabalho no mundial eram bicicletas

 

fotos: UCI

(Mundo Bici - UCI)

Admin

07 Fevereiro 2024

Mobilidade

Comentários

Destaque

Um novo relatório sobre bicicletas elétricas foi apresentado pela Navigant Research, nele há indicações de que até 2025, as vendas de e-bikes (bicicletas elétricas) poderão gerar uma receita anual de US $ 24,3 bilhões.