MAIO AMARELO: NÓS SOMOS O TRÂNSITO

MAIO AMARELO: NÓS SOMOS O TRÂNSITO

O Maio Amarelo é  um movimento internacional de mobilização e conscientização para a redução de acidentes e para um trânsito seguro para todos.

A proposta é colocar em pauta, diariamente, durante todo o mês de maio, o tema Trânsito, tendo como destaque as consequências e a redução dos acidentes de trânsito. Com isso incentivar a participação de cidadãos, governos,  entidades e empresas .

O mês de maio foi escolhido por se tratar de um mês histórico para a segurança no trânsito e um marco mundial para o balanço das ações realizadas em todo o mundo.

Foi em  11 de maio de 2011 que a ONU decretou a Década de Ações para a Segurança no Trânsito (2011-2020), que tem como meta a redução de 50% dos acidentes de trânsito no Mundo e no país. . No Brasil, o número de mortes no trânsito no Brasil é de aproximadamente 23 por 100 mil habitantes.

Também no mês de maio, que desde  2013 se realiza a Semana Mundial de Segurança do Pedestre, também chamada de Campanha Zenani Mandela, em memória da neta de Nelson Mandela, vítima fatal do trânsito na África do Sul em 2010, com apenas 13 anos. 

O amarelo no fitilho que simboliza a campanha é em alusão à sinalização de advertência, que também simboliza atenção.

Com o mote “Nós somos o trânsito” o Movimento chega à sua 5ª edição e fomenta na sociedade discussões e atitudes voltadas à necessidade urgente da redução do número de mortes e feridos graves no trânsito. O tema foi discutido com a Associação Nacional de Detrans (AND) e foi apresentado em reunião do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

Assim como em 2017, o tema de 2018 propõe o envolvimento direto da sociedade nas ações e propõe uma reflexão sobre uma nova forma de encarar a mobilidade. Trata-se de um estímulo a todos os condutores, seja de caminhões, ônibus, vans, automóveis, motocicletas ou bicicletas, e aos pedestres e passageiros, a optarem por um trânsito mais seguro.

De acordo com o OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária, os acidentes não acontecem, mas sim são frutos de escolhas inadequadas e arriscadas. Para José Aurelio Ramalho, diretor-presidente do OBSERVATÓRIO e idealizador do Movimento Maio Amarelo, 90% dos acidentes têm como motivação as falhas humanas como imperícia, imprudência e desatenção. “Somos os responsáveis pelos nossos atos no trânsito e ter consciência clara disso é um dos caminhos para a reversão do triste cenário não só do Brasil, mas de todo o mundo”, ressalta.

(Movimento Maio Amarelo)

Admin

09 Maio 2018

Mobilidade

Comentários

Destaque

No Rio Grande do Sul legisladores aprovam projeto de lei que prevê ciclovias em todos os projetos rodoviários ou em estradas em fase de construção