Estudo revela que e-bikes podem ser 66% mais rápidas do que carros em capitais do Brasil

Estudo revela que e-bikes podem ser 66% mais rápidas do que carros em capitais do Brasil

Um levantamento realizado pela empresa de soluções em microbilidade, Tembici, revelou a eficiência das bicicletas elétricas em comparação com os carros em percursos das cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro tomando por base os dados do tempo percorrido nos percursos com as bicicletas do sistema de compartilhamento e o cruzamento de dados para o mesmo trajeto de um aplicativo de navegação por GPS.

Os dados revelaram que em trajetos feitos de carro que duram em média 21 minutos, em percursos de 9 a 10 km nessas duas grandes cidades brasileiras, com a e-bike foram feitos em apenas 7 minutos, uma redução de 66% no tempo de deslocamento.

O recorte considerado foi o de deslocamentos realizados em horários de pico ao longo de 2023, em São Paulo e Rio de Janeiro. A amostra considerou 40 mil viagens e a média total de economia foi de 26% no tempo de deslocamento. Outro dado importante é um comparativo entre os deslocamentos com bicicletas elétricas e as comuns, nas duas cidades, onde os percursos feitos com e-bikes são em média 42% mais longos e 33% mais rápidos que os realizados em bicicletas tradicionais

A pesquisa verificou ainda que com o uso das bikes elétricas, as duas capitais somaram mais de 12,3 milhões de deslocamentos e com isso retiraram do ar mais de 2,2 mil toneladas de CO² – o equivalente a mais de 15 mil árvores poupadas.

Com a bicicleta a pedalada assistida ou e-bike, as pessoas conseguem superar ladeiras com um menor esforço, economizando tempo e também exercitando-se, além de contribuir com a redução na emissão de CO2. Nos grandes centros urbanos a opção pela utilização de bicicletas compartilhadas se tornou a solução eficaz, cômoda e econômica para deslocamentos;

“O estudo foi realizado a partir de uma grande quantidade de viagens, mas sabemos que, se considerarmos vias altamente congestionadas e que contam com ciclovias, como as avenidas Faria Lima e Luiz Carlos Berrini, em São Paulo, e regiões como Largo do Machado e Centro, no Rio de Janeiro, essa redução pode ser ainda maior. Com isso, as bicicletas se provam como uma alternativa viável e eficiente, especialmente em trechos urbanos engarrafados, oferecendo aos usuários a oportunidade de economizar tempo e chegar de forma mais rápida a seus destinos”, explicou Tomás Martins, Ceo da empresa.

O estudo foi divulgado pouco tempo depois que foi anunciado o aumento em 220% da frota de bicicletas elétricas do sistema de compartilhamento nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, passando a ter 2 mil e-bikes disponíveis em cada cidade até o fim de 2023. Com a expansão, as cidades tornam-se os maiores sistemas de bicicletas elétricas compartilhadas da América Latina.

(Divulgação)

Admin

24 Julho 2023

Mobilidade

Comentários

Destaque

Empresa de Taiwan desenvolveu uma nova tecnologia para a construção de quadros de bicicletas utilizando um composto termoplástico com fibra de carbono.