ESCRITOR RECIFENSE LANÇA LIVROS COM TEMA CENTRAL A BICICLETA

ESCRITOR RECIFENSE LANÇA LIVROS COM TEMA CENTRAL A BICICLETA

O escritor recifense Igor Colares, lançou no inicio de dezembro dois livros aonde o tema principal é a bicicleta.  A apresentação de Bicicleta Verde e Bicicleta Branca aconteceu no Recife durante as comemorações o dia Municipal do Ciclista (8/12) no Museu Murillo la Greca.

Bicicleta Verde é um livro dirigido ao público infantil e aborda questões do meio ambiente. A história se passa em um mundo ficcional aonde os automóveis ocupam mais espaço do que necessariamente precisariam. As ótimas ilustrações são do cartunista Luciano Félix.

Bicicleta Branca é voltado para um publico acima dos 12 anos e conta a história de uma Ghost Bike, uma daquelas as bicicletas brancas colocadas em pontos onde ocorreram acidentes fatais com ciclistas e que servem como memorial . No livro o autor faz reflexões sobre o valor da vida. As ilustrações são de Carlos Varejão.

As duas obras se juntam a Bicicleta Amarela,  livro infantil, publicado por Igor Colares em 2016 e que foi ilustrado por Beto França e que aborda de forma emotiva o uso da bicicleta como meio de transporte e as politicas públicas para a sua utilização.

Os livros Bicicleta Verde e Bicicleta Branca,  foram produzidos pela Ameciclo (Associação Metropolitana de Ciclistas do Grande Recife) e pelo Fluxo Studio  com o patrocínio do Itau e  podem ser adquiridos pelo site http://www.fluxostudio.com/loja/2-bicicletas.html, o preço unitário é de R$18 mas ao se adquirir o combo com os dois livros o preço é de R$ 30, além disso no site também pode ser adquirido o primeiro livro da trilogia: Bicicleta Amarela.

(Mundo Bici)

Admin

13 Dezembro 2018

Mobilidade

Comentários

Destaque

O uso de freios a disco em bicicletas de estrada ainda está limitado pela entidade máxima do ciclismo e ainda se encontra em fase de testes, sendo liberado apenas para equipes Continentais, Continentais Profissional e World Tour em provas do calendário da UCI . Aqui no Brasil seu uso está proibido na grande maioria das provas do calendário