EMENDA PODERÁ ASSEGURAR RECURSOS PARA CICLOVIAS DE FLORIANÓPOLIS

EMENDA PODERÁ ASSEGURAR RECURSOS PARA CICLOVIAS DE FLORIANÓPOLIS

Dispositivo incluído na Lei de Diretrizes Orçamentárias  pode garantir investimentos na ordem de até R$ 5 milhões por ano para sistema cicloviário da capital catarinense

A aprovação de uma emenda que disponibiliza 20% do orçamento do Fundo Municipal de Trânsito de Florianópolis para o sistema cicloviário reacendeu o ânimo dos usuários de bicicletas. A aprovação na Câmara de Vereadores, na segunda semana de julho, aconteceu em sessão da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) e, agora, o prefeito Gean Loureiro (MDB) tem 15 dias para sancionar ou não o dispositivo. Para Rodrigo Herd, diretor finenceiro da Amobici -Associação Mobilidade por Bicicleta e Modos Sustentáveis,  os ciclistas esperam que o prefeito cumpra a promessa de campanha e sancione a emenda, que deverá garantir um recurso mínimo anual de aproximadamente  R$ 5 milhões para o investimento em ciclovias e ciclofaixas.

De acordo com o vereador Maikon Costa (PSDB), autor da emenda e que utiliza bicicleta diariamente, a Florianópolis tem 52 quilômetros de ciclovias, ciclofaixas e passeios compartilhados. “Estudos apontam que existe uma demanda reprimida na cidade em torno de 74%, de motoristas e usuários do transporte coletivo, que gostariam de utilizar o sistema cicloviário. Apenas 3,4% das viagens urbanas são feitas com bicicletas. O investimento no setor deve girar em torno de R$ 5 milhões por ano, porque o Fundo arrecada cerca de R$ 25 milhões”, afirmou o vereador.

Para Herd, o grande problema no sistema cicloviário de Florianópolis é a falta de conexão entre as ciclovias. Além disso, a sinalização insuficiente e a falta de manutenção agravam o problema e afastam os usuários. O diretor da Amobici afirmou que a grande parte dos acessos exclusivos para os usuários de bicicleta está nas regiões do Centro e da Bacia do Itacorubi.

O diretor da Amobici disse que o prefeito Gean Loureiro assinou uma carta compromisso com grupos ligados a mobilidade em bicicleta de Florianópolis;  documento previa o destino de 20% do Fundo Municipal de Trânsito para o sistema cicloviário. Esse fundo seria utilizado para ampliação das ciclovias, manutenção e adequação de pontes, viadutos ou túneis. Assim, este modal deixaria de ter investimento apenas pela vontade do gestor público. Ainda segundo Rodrigo Herd: “Nos últimos quatro anos, nada ou pouco foi investido no sistema cicloviário. Com os recursos assegurados em lei, não ficaremos apenas aguardando a boa vontade do gestor público, que acaba colocando os recursos em outras prioridades. A principal obra seria unir as ciclovias já existentes”.

O Plano de Mobilidade Urbana Sustentável da Grande Florianópolis aponta que a capital catarinense  precisa implantar 177,7 quilômetros de ciclovias até 2020. Atualmente, a defasagem supera os 50 quilômetros.

Fotos: FMP/Divulgação

(Fonte: Notícias do Dia / Prefeitura Municipal de Florianópolis)

Admin

17 Julho 2018

Mobilidade

Comentários

Destaque

Levantamento da Secretaria de Finanças da cidade de Santos mostram que o crescimento no comércio voltado ao setor de bicicletas acompanha os da expansão da malha cicloviária na cidade da baixada santista.