Edital prevê 300 bicicletas compartilhadas em Balneário

Edital prevê 300 bicicletas compartilhadas em Balneário

A prefeitura de Balneário Camboriú lançou ontem edital para implantar um sistema de bicicletas públicas compartilhadas – aprovado por lei em dezembro passado. A novidade permite que moradores e turistas utilizem as bikes gratuitamente por até uma hora. A empresa que vencer a licitação deverá instalar 30 estações com 10 bicicletas cada em pontos estratégicos da cidade.

A previsão é que as propostas da licitação sejam abertas em 1º de julho e o sistema comece a ser implantado 15 dias após a assinatura do contrato. Antes disso, haverá uma audiência pública, marcada para 2 de junho, às 19h, na Câmara de Vereadores, para esclarecer o funcionamento do projeto.

– O sistema não possui custo para o município. A contrapartida da prefeitura é que a empresa poderá explorar a publicidade das bicicletas e estações, além de cobrar uma taxa de cadastro dos usuários – explica o secretário de Compras de Balneário, Mário Sérgio Teixeira.

O usuário pode fazer o cadastro por um dia (R$ 5), mensal (R$ 10) ou anual (R$ 60). Após esse procedimento, a bicicleta pode ser utilizada por até 1 hora gratuitamente ou de forma ilimitada, desde que seja respeitado um intervalo mínimo de 15 minutos. Caso o ciclista exceda o tempo limite será cobrada uma taxa extra, que ainda não foi estipulada.

Além disso, o sistema será todo operado pela empresa através de aplicativo para celular, telefone ou cartão de liberação da bicicleta. Pela internet, o usuário ainda poderá verificar quantas bikes estão disponíveis em cada estação.

A intenção é que os pontos para retirada dos veículos fiquem distantes cerca de 500 metros. O município tem mais de 60 possíveis locais definidos que serão discutidos junto com a empresa vencedora. Barra Sul, Pontal Norte e a Praça Almirante Tamandaré devem ser contemplados com o serviço.

– O objetivo das bicicletas compartilhadas é oferecer mais mobilidade para a população. Será contratada a empresa que apresentar a melhor técnica, tipos de equipamentos e maior número de estações de bicicletas, obedecendo ao mínimo de 30. Se tudo correr bem, até o fim de julho começamos a instalar as estações – afirma Teixeira.

Tentativas em SC

Em Santa Catarina, Balneário Camboriú é a única cidade com projeto deste tipo em andamento. Blumenau chegou a implantar um sistema de aluguel de bicicletas em 2009, no qual os usuários compravam créditos para utilizar as bikes. O serviço parou de funcionar em 2011 em função da baixa adesão dos moradores.

Florianópolis também lançou um edital para contratar uma empresa especializada em bicicletas compartilhadas no ano passado. Porém, ninguém se interessou pelo serviço e agora a prefeitura estuda uma forma de deixar a licitação mais atrativa. Em Joinville, o projeto não chegou a sair do papel. No país, 13 cidades já implantaram a iniciativa, como Recife, Rio de Janeiro, Fortaleza e São Paulo.

Apesar das tentativas frustradas em SC, o presidente da Associação de Ciclistas de Balneário Camboriú (ACBC), Luiz Carlos Chaves Júnior, acredita que a cidade pode ter mais êxito em função da visibilidade que possui, principalmente no turismo.

– Acho que Balneário tem algumas vantagens por ser menor que Florianópolis. Aqui 30 estações de bicicletas fazem diferença, se tornam uma vitrine. A cidade também tem visibilidade em função dos visitantes e deve atrair possíveis patrocinadores – observa.

Para Júnior, uma das dificuldades no edital pode ser a exigência de outra forma de pagamento para fazer o cadastro, além do cartão de crédito. No entanto, ele considera que o projeto foi bem elaborado.

– A lei ficou quase um ano na Câmara e a associação fez exigências para que o tempo de uso fosse de pelo menos uma hora e que houvesse bases nos bairros. Também fazemos parte da comissão técnica que vai analisar as empresas concorrentes – argumenta.

Como vai funcionar

- As 300 bicicletas compartilhadas poderão ser retiradas em 30 estações, localizadas em pontos estratégicos.

- Para usar o serviço, o morador terá que fazer um cadastro através de aplicativo para celular, telefone ou no escritório da empresa que vencer a licitação na cidade. O custo é de R$ 5 (diária), R$ 10 (mensal) e R$ 60 (anual).

- O pagamento do cadastro pode ser feito por cartão de crédito ou outra opção a ser disponibilizada pela empresa.

- Após esse procedimento, a bicicleta será destravada na estação e usuário pode utilizá-la por até 1 hora gratuitamente ou de forma ilimitada, desde que seja respeitado um intervalo mínimo de 15 minutos.

- No final do uso, a bicicleta deve ser devolvida em uma das estações para que o tempo pare de contar.

- Caso o ciclista exceda o tempo limite será cobrada uma taxa extra, que ainda não foi definida.

- Há ainda a opção de verificar online quantas bicicletas estão disponíveis em cada estação.

Novos bicicletários

Além das bikes compartilhadas, a prefeitura de Balneário Camboriú iniciou a contratação de 20 novos pontos para bicicletários. As estruturas serão estilizadas e vão ocupar vagas de estacionamento em pontos de maior uso de bicicletas.

As propostas do edital foram abertas na segunda-feira e a previsão é que até o fim do mês o contrato com a empresa vencedora seja assinado. O investimento é de quase R$ 150 mil. Serão instalados 10 módulos no primeiro mês e outros 10 no segundo.

(Diário Catarinense)

Admin

01 Junho 2016

Mobilidade

Comentários

Destaque

Comissão considera infração gravíssima estacionar veículo em ciclovias O projeto original triplicava a multa aplicada ao motorista que estacionasse o veículo nesses locais