CICLOTURISMO CRESCE EM MINAS GERAIS E GOVERNO FOMENTARÁ A ATIVIDADE

CICLOTURISMO CRESCE EM MINAS GERAIS E GOVERNO FOMENTARÁ A ATIVIDADE

A interligação da bicicleta com montanhas, vilarejos históricos e culinária local dá muito certo em Minas Gerais e a atividade de cicloturismo tem crescido muito no Estado, com cidades investindo em infraestrutura para atrair o turista que usa a bicicleta para conhecer as belezas locais.

O estado da região sudeste que tem uma das paisagens mais diversificadas do país viu, nos últimos meses durante a pandemia do novo coronavírus, ‘explodir’ a pratica do cicloturismo em praticamente todas as regiões. “Este é um fenômeno novo, que nasceu diferente, bonito, na pandemia, e que nós, da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult), estamos apoiando e fomentando”, afirma o secretário Leônidas Oliveira.

O próprio gestor, em suas andanças pelo interior de Minas Gerais, tem se aventurado nas trilhas para experimentar e descobrir o seu potencial. Oliveira – que particularmente gosta do esporte – conta que não visitou uma cidade mineira que não tenha feito pelo menos um percurso em bicicleta. Já pedalou trechos de 60 km entre Patrocínio e Romaria e de 70 km entre Sabará e Santa Bárbara. E afirma, categórico: “Todas essas trilhas nasceram a partir de uma forte identidade cultural”. Este é, segundo ele, um movimento original, bonito, que mostra de forma reveladora para os turistas as paisagens de Minas.

Em meados de outubro, Oliveira participou da inauguração da mais nova trilha de cicloturismo do Estado, a Rota Túnel Rio Abaeté, com cerca de 70 km, entre as cidades de Tiros, Matutina e Arapuá, no Alto Paranaíba. A nova rota passa por estradas vicinais da cidade, marcadas pela vegetação de Cerrado, túneis de mineração cavados no leito do rio Abaeté, a comunidade quilombola Maria Preta e locais onde pode se experimentar a culinária mineira.

Webinário para fomentar a atividade

Para a Secult, a bicicleta deixou há muito de ser apenas um veículo e passou a representar uma importante aliada para o turismo nos segmentos de ecoturismo, rural e de aventura. Tanto que o cicloturismo é um dos eixos do programa Reviva Turismo, conjunto de políticas públicas lançado em maio para direcionar a retomada do setor do turismo. Para o dia 10 de novembro, às 10h, em seu perfil no YouTube, a Secult programou um webinário para fomentar a atividade em todo o Estado. “Temos acompanhado essas tendências de natureza em várias regiões e realizado ações de fomento do setor. Já temos um grupo de trabalho na secretaria focado nesse segmento”, destaca Milena Pedrosa, subsecretária de Turismo.

Ainda abrangendo as ações do programa Reviva Turismo, um edital inédito foi publicado no dia 24 de setembro no Diário Oficial do Estado, garantindo cerca de R$ 10 milhões para promoção e fomento do turismo no Estado possibilitando que associações ou entidades ligadas ao cicloturismo possam desenvolver projetos para expansão da atividade em Minas, tendo como foco a promoção do destino e atração de turistas.

Parques estaduais onde é possível pedalar

A demanda por atividades de ciclismo nas unidades de conservação estaduais administradas pelo Instituto Estadual de Florestas (IEF) é crescente, confirma a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad). Pelo menos dez Áreas de de Proteção Ambiental (APAs) e parques estaduais oferecem hoje estrutura para receber os ciclistas.

O IEF também tem trabalhado para aprimorar a estrutura de trilhas nessas unidades. A prática pode ser de treinos intensos de mountain-bike, mas também em um leve pedal de lazer. Com trilhas demarcadas em meio às áreas florestais que permitem a passagem por bicicleta, os visitantes podem ter acesso a mirantes e cachoeiras. A prática do ciclismo nos parques está disponível aos visitantes o ano todo, basta deslocar-se a uma unidade e informar aos funcionários o desejo de explorar as trilhas.

Entre os locais adaptados para receber ciclistas está o Parque Estadual Mata do Limoeiro. Localizado em Ipoema, distrito de Itabira, na região Central de Minas, a unidade abriga o Circuito Limoeiro, uma trilha com cerca de 8 km. O grau de dificuldade do trecho é médio e pode ser compartilhado com pessoas que desejam fazer caminhada. O circuito leva os ciclistas à cachoeira do Paredão e à cascata do Limoeiro.

Outra unidade aberta ao ciclismo é o Parque Estadual da Serra do Rola Moça, na área Metropolitana de Belo Horizonte. Há duas trilhas no Rola Moça: estrada do Sertão e trilha do Cerrado. Também utilizadas com frequência por competidores de mountain bike, as rotas são um convite para quem deseja explorar áreas verdes com destino aos mirantes.

No escopo do Programa de Concessão de Parques Estaduais (Parc), do governo de Minas, existe a previsão de implantação de projetos específicos para ciclismo. Um dos projetos é o do Parque Estadual do Sumidouro, localizado entre Lagoa Santa e Pedro Leopoldo, que está dentro do primeiro contrato de concessão assinado para a Rota das Grutas Peter Lund, e no qual o concessionário tem a obrigação contratual de implementar uma trilha chamada Circuito Volta da Lagoa.

Parques estaduais abertos à prática de cicloturismo:

* Parque Estadual da Mata do Limoeiro - Itabira

* Parque Estadual da Serra do Rola Moça - Grande Belo Horizonte

* Parque Estadual Biribiri - Diamantina

* Parque Estadual do Itacolomi - Ouro Preto

* Parque Estadual da Lapa Grande - Montes Claros

* Parque Estadual Sumidouro - Lagoa Santa

* Parque Estadual Serra do Intendente - Conceição do Mato Dentro

* Parque Estadual do Pau Furado - entre Araguari e Uberlândia

* Área de Proteção Ambiental (APA) Fernão Dias - Contagem/Betim

* Parque Estadual Serra do Ouro Branco - entre Ouro Branco e Ouro Preto

fotos: Antônio Gonçalves

(O Tempo)

Admin

20 Outubro 2021

Mobilidade

Comentários

Destaque

Fabricantes europeus estão fazendo um movimento de retorno, levando suas produções para mais perto da sua rede de distribuição na Europa. Agilidade nas entregas e possibilidade de atender a costumização estão sendo levados em conta por grandes players do setor