BIKE SEM BARREIRAS: PROGRAMA UTILIZA A BICICLETA COMO FERRAMENTA DE INCLUSÃO

BIKE SEM BARREIRAS: PROGRAMA UTILIZA A BICICLETA COMO FERRAMENTA DE INCLUSÃO

Prefeitura de João Pessoa em parceria público-privada  lança programa inclusivo que vai disponibilizar gratuitamente bicicletas adaptadas para uso de pessoas com deficiência.

 

No início do mês de setembro, a prefeitura e João Pessoa (PB) colocou em ação, no Parque da Lagoa Sólon de Lucena,  o projeto “Bike sem Barreiras”, onde pessoas com deficiência terão à disposição bicicletas adaptadas .

O projeto ‘Bike sem barreiras’ vai disponibilizar as bicicletas para atender pessoas com paraplegia, lesões medulares, deficiência visual e mielomeningocele, um problema relacionado à espinha dorsal. São vários modelos de bicicletas à disposição do público.   A The Duet poderá ser utilizada por todos, suportando até 120 kg. A Handbike é destinada a usuários com lesões baixas e a Tandem, ou bicicleta de dois lugares, é para deficientes visuais que são conduzidos por monitores que atuam como guias.

O projeto é uma parceria público-privada entre a  Prefeitura de João Pessoa (PMJP), a Uninassau e o Instituto ser Educacional, que tem como objetivo integrar este público aos espaços de convivência da cidade. A universidade Uninassau doou as bicicletas ao município e vai garantir monitores para acompanhar a utilização. A prefeitura da cidaede atua na parte de logística, garantindo tendas, suportes, água, protetor solar e serviços como fisioterapia aos usuários.

De acordo com Adalberto Araújo, superintendente da superintendente da Secretaria de  Mobilidade Urbana-Semob, a parceria é mais uma forma de garantir inclusão e acessibilidade a todos os públicos. “A obra do Parque da Lagoa teve toda uma preocupação de garantir espaços de inclusão, que acolhesse todos os públicos de forma eficiente e agora podemos dar mais um passo nesse sentido”, afirmou.

Segundo o diretor regional da Uninassau, Rogério Xavier, João Pessoa é a terceira cidade a receber o projeto, depois de Salvador e Recife. “A cidade foi escolhida pelo carinho que temos a ela e pela relação de parceria que encontramos junto à Prefeitura. Com isso conseguimos trazer o projeto, o primeiro no país a disponibilizar um bicicletário totalmente inclusivo”.

O projeto é permanente e vai funcionar todos os domingos das 8h às 12h, em frente às paradas de ônibus do Parque da Lagoa. No total, 50 monitores estarão envolvidos no projeto para auxiliar e orientar o uso dos equipamentos, sendo 12 a cada domingo. Para ter acesso aos equipamentos, o usuário precisa apenas levar um documento com foto para a realização de um cadastro prévio.

 

(SeCom-JP)

Admin

10 Setembro 2019

Mobilidade

Comentários

Destaque

No Rio Grande do Sul legisladores aprovam projeto de lei que prevê ciclovias em todos os projetos rodoviários ou em estradas em fase de construção