BH TREINA GUARDAS MUNICIPAIS PARA PATRULHAMENTO COM BICICLETA

BH TREINA GUARDAS MUNICIPAIS PARA PATRULHAMENTO COM BICICLETA

Agentes da Guarda Municipal recebem treinamento inédito no país com  especialista americano. Segundo dados patrulhamento com bicicleta é mais efetivo. Prefeitura de BH quer expandir o serviço por várias regiões da cidade
 
Tomando por base estudos que apontam que o patrulhamento feito por dois policias em bicicleta equivalem a 10 agentes a pé, a Secretaria Municipal de Segurança Urbana e Patrimonial de Belo Horizonte está desenvolvendo um trabalho especifico para treinar uma equipe de agentes que patrulhará as ruas da cidade pedalando e-bikes (bicicletas elétricas a pedalada assistida).
Para cuidar da preparação do grupo, a Guarda Municipal de Belo Horizonte contou com a colaboração de Craig Lepkowski, comandante do Forest Police Department, de Chicago, nos Estados, Unidos,  e instrutor do Curso de Bike Patrulha da International Police Mountain Bike Association – IPMBA – atualmente considerado um dos maiores centros de treinamento policial em bicicletas. A IPMBA-  é uma associação sem fins lucrativos dedicada à promoção do uso da bicicleta para a segurança pública.
Lepkowski que trabalha no patrulhamento com bicicletas há mais de 15 anos,  esteve em Belo Horizonte para ministrar um curso e fornecer treinamento especializado sobre como conduzir a bicicleta e  como se relacionar com os pedestres para os integrantes do Grupo de Ronda Bike da Guarda da capital mineira. O patrulhamento realizado com bicicletas prioriza o policiamento comunitário, deixando os policiais mais próximos do cidadão.
Segundo o policial norte-americano, o uso das bicicletas ajudou a diminuir a criminalidade em Chicago. “A vantagem em relação aos carros é que a bicicleta pode atingir todas as áreas. Por exemplo, há áreas com árvores ou em estacionamentos, em que a bicicleta é muito mais adequada. É uma modalidade que tem crescido em todo o mundo e em BH, devido ao clima tropical do Brasil, é possível usa lá em todas as estações do ano – o que não é viável em países que têm invernos muito intensos”, afirmou Lepkowski que enalteceu as qualidades da bicicleta, destacando que é um veículo sustentável, que não polui e que se trata de uma atividade saudável para quem a utiliza.
Questionado se o relevo de Belo Horizonte seria um inconveniente , Lepkowski, disse que se trata de mais um desafio,  Chicago é uma cidade muito plana, o que favorece o deslocamento. Mas, já participei de operações no Colorado, que é bastante íngreme. Para mim, é um desafio”, afirma.
Vale destacar que a Guarda Municipal está testando quatro pedelec’s – bicicletas elétricas a pedalada assistida, considerada mais apropriada em locais de relevo acidentado e que surge como solução para a capital montanhosa. Segundo o coordenador do Grupo de Ronda, Hismar Davi  “É um meio que proporciona qualidade na condição de pilotagem, pois tem um pedal assistido que facilita o deslocamento em relevo acidentado”, completou a informação destacando atualmente, a Guarda Municipal atua com 12 agentes sem bicicletas na Região da Pampulha. O objetivo é expandir o patrulhamento e a utilização das bicicletas para outras áreas da capital mineira.
 
Foto: Edésio Ferreira/EM/D.A PRESS

(Prefeitura de Belo Horizonte/Estado de Minas)

Admin

29 Setembro 2017

Mobilidade

Comentários

Destaque

Alunos da Universidade Federal do Espirito Santo – UFES - estudaram por mais de 4 meses as ciclovias de Vitoria. O resultou em quatro projetos que foram apresentados no seminário E aí, vamos de Bike?