As dificuldades e desafios para o uso das bicicletas

As dificuldades e desafios para o uso das bicicletas

Fruto de uma longa evolução, o veículo que hoje chamamos de bicicleta – termo cunhado na França em 1860- é conhecido como um dos meios de transporte mais sustentáveis e, diga-se de passagem, saudáveis, já que a energia resulta do esforço humano.

Entretanto, por ser um meio barato, fácil e prático, por que as bicicletas não são tão populares pelas ruas do Brasil? O que falta para nossos possíveis ciclistas?

Como os fatores são vários, resolvi listar alguns que achei mais importantes:

Infraestrutura: 

Se você é um ciclista, mesmo aqueles que só pedalam a passeio, já deve ter percebido que é muito difícil encontrar ciclovias ou locais apropriados e devidamente sinalizados para se andar de bicicleta. A título de exemplo, cidades como Budapeste, Londres , Copenhague e Barcelona, as ciclovias são muito bem sinalizadas, algumas inclusive com semáforos para os ciclistas.

Segurança:

Outro fator que acredito ser primordial. Infelizmente não é difícil encontrar nos noticiários os diversos casos de ciclistas assaltados e bicicletas roubadas. Particularmente, eu já tive minha bicicleta roubada, entretanto agradeço por não estar presente no momento. Além disso, o grande número de acidentes, geralmente pela falta de respeito e conscientização de motoristas, agrava esse quadro- fazendo com que muitas pessoas deixem suas bicicletas em casa.

Cultura

Apesar do que já foi exposto, percebo que há, contudo, uma falta de perspectiva, não sei se cultural, em relação as bicicletas. O que aparenta é que muitas pessoas veem os ciclistas como os que, pela falta de opção ou dinheiro, usam a bicicleta como meio de transporte, daí a significativa falta de respeito que notamos.

E vocês? O que acham que falta ser feito ou deve mudar em relação às bicicletas?

(BH Cidadão)

Admin

03 2015

Mobilidade

Comentários

Destaque

Mais ciclistas nas ruas, mais quilômetros de ciclofaixas e o resultado direto repercutiu nas vendas e lojas especializadas de Niterói, aonde a crise não se fez sentir com intensidade, pelo contrário, as bicicletarias, segundo aponta o jornal O Globo, tiveram aumento nas vendas