44 MILHÕES EM CICLOVIAS MAS NÃO É POSSIVEL CHEGAR ÀS COMPETIÇÕES DO RIO2016 PEDALANDO

44 MILHÕES EM CICLOVIAS MAS NÃO É POSSIVEL CHEGAR ÀS COMPETIÇÕES DO RIO2016 PEDALANDO

Apesar de a Prefeitura do Rio de Janeiro ter incluído ciclovias como parte das obras do legado olímpico, o torcedor que quiser ir aos eventos pedalando será impedido.

Em mensagem às pessoas que compraram ingressos e em comunicado em sua newsletter, o Comitê Rio 2016 desencorajou o uso de bicicleta e meios de transporte semelhantes: “Evite utilizar bicicletas, patins, patinetes, skates e similares para chegar aos locais de competição. Você não poderá entrar com eles nas instalações e não haverá local para guardá-los”. A restrição ocorre no perímetro próximo aos eventos, na chamada área de exclusão

Como forma de incentivar o uso de transporte público durante o evento, o governo fluminense criou o Cartão dos Jogos, passe que integra as opções de mobilidade.

De acordo com uma representante do comitê, o veto à bicicleta foi adotado em Olimpíadas passadas. Porém a explicação soa um tanto contraditória pois nas últimas Olimpíadas, em 2012, a organização dos jogos de Londres disponibilizou um mapa com ciclovias, para quem quisesse pedalar até os locais de partidas. Nos jogos de Londres2012, a capital britânica recebeu a pressão de grupos de ciclistas por incentivos para pedalar até os locais competições e  foi justamente uma forma de contornar os congestionamentos olímpicos e também de tentar acessar os locais dos jogos pedalando. Apesar das Interdições, das zonas de exclusão, das pistas exclusivas para os carros e ônibus da família olímpica os londrinos viveram tudo isso e os benefícios da bicicleta se tornaram óbvios para mais pessoas.

A ciclovia Tim Maia, principal trecho cicloviário construído como legado olímpico, custou R$ 44,7 milhões e foi inaugurada em janeiro e três meses depois parte dela desabou. Outros trechos de ciclovia construídos para a Olimpíada também  receberam criticas, por sua extensão e pela execução, como a do Parque Olímpico que vai do Parque Aquático Maria Lenk ao MPC-Centro Principal de Mídia
 

Arte: reprodução comunicado do Comitê Organizador dos Jogos

(Fontes: Bike é Legal / Transporte Ativo)

Admin

25 Julho 2016

Mobilidade

Comentários

Destaque

Um engenheiro italiano desenvolveu um protótipo de uma bicicleta com rodas sem raios que pode ser dobrada como se fosse um guarda-chuvas. Feita de alumínio, a bicicleta foi criada por Gianluca Sada, que patenteou o sistema inovador de aros que dispensa os tradicionais raios das rodas comuns de bicicletas e motocicletas