14,5 KM DE CICLORROTAS E SISTEMA DE COMPARTILHAMENTO PARA MANAUS

14,5 KM DE CICLORROTAS E SISTEMA DE COMPARTILHAMENTO PARA MANAUS


11 Estações de compartilhamento e 14,5 km de ciclorrotas no Centro Histórico de Manaus, fazem parte de um projeto de transformação dos espaços e da recuperação urbana da capital amazonense. Aposta na mobilidade urbana e no turismo colocam a bicicleta em destaque


O centro de Manaus passou por uma transformação, no mês de abril foram inaugurados 14,5 km de ciclorrotas e mais 110 bicicletas foram distribuídas em 11 estações de compartilhamento localizadas em lugares emblemáticos da capital amazonense, como o Mercadão, a centenária avenida Eduardo Ribeiro, a Igreja N.S. dos Remédios, a Praça do Congresso, a Beneficente Portuguesa entre outros pontos da cidade.

Ao mesmo tempo que estamos promovendo um redesenho no Centro, com projetos na Praça da Matriz, por exemplo, transformando espaços e realizando recuperação urbana, estamos investindo na qualidade de vida. E o Manôbike será mais uma motivação para moradores, visitantes e turistas para pedalar seja a lazer ou para percurso de trabalho e para encontrar pessoas”, declarou o presidente do Implurb, engenheiro Claudio Guenka.
Os 14,5 quilômetros de ciclorotas receberam sinalização horizontal e vertical, num grande quadrilátero no Centro, para garantir maior segurança dos ciclistas. Vale destacar que as ciclorrotas indicam a presença e a preferência da bicicleta. Essa alternativa tem sido uma solução adotada por várias cidades para projetos de ciclomobilidade, sendo um modelo mais simples, fácil de implantar e com pouco impacto viário.
Ainda segundo o presidente do Implurb, Claudio Guenka: “Esse é o começo de um novo modelo, onde o importante é promover o respeito mútuo entre os usuários do trânsito. O uso da bicicleta vem como alternativa sustentável de mobilidade, além de favorecer a prática de atividade física, de lazer e, consequentemente, de mais qualidade de vida. Futuramente, queremos ampliar o uso do Manôbike e das ciclorrotas para outras áreas da capital”.
A operação do sistema Manôbike será feita pela Samba Transportes Sustentáveis, do Grupo Serttel, com patrocínio da Hapvida. A empresa assinou Termo de Cooperação com a prefeitura, após sair vencedora do edital de Chamamento Público lançado pelo Implurb. O compartilhamento viário é assegurado pelo Código Brasileiro de Trânsito (CBT), que orienta ainda que a preferência é do menor modal para o maior – pedestres, ciclistas, carros, caminhões, ônibus e outros.
“É um ciclo de investimento que atrai o turismo, ajuda na mobilidade urbana e ainda promove a prevenção na saúde, porque a prática da pedalada pode prevenir o aparecimento de doenças como diabetes e hipertensão. Sem dúvida, Manaus só tem a ganhar com essa iniciativa”, completou a superintende regional da Hapvida, Tarita Guilhon.
Antes de colocar em funcionamento o Manôbike, a Prefeitura, em parceria com diversos grupos de ciclistas , lançou no início do ano, a campanha publicitária “No Trânsito eu Compartilho Respeito” com o objetivo de preparar e sensibilizar os motoristas para que respeitem e compartilhem com os ciclistas as ruas da cidade.


Fotos: Alex Pazuello / Semcom-Manaus
 

(Semcom-Manaus)

Admin

26 Abril 2017

Mobilidade

Comentários

Destaque

Portugal é o maior exportador de bicicletas do mercado comum europeu com 15% do total produzido no bloco