SANTOS: MAIS UMA CIDADE AONDE AS CICLOVIAS CONTRIBUEM PARA MOVIMENTAR O COMÉRCIO DE BICICLETAS

SANTOS: MAIS UMA CIDADE AONDE AS CICLOVIAS CONTRIBUEM PARA MOVIMENTAR O COMÉRCIO DE BICICLETAS

Levantamento de  dados coletados pela Secretaria de Finanças da cidade de Santos mostra que o crescimento no comércio voltado ao setor de bicicletas acompanham os da expansão da malha cicloviária na cidade da baixada santista.

Nos últimos 5 anos malha cicloviaria cresceu 37%, saindo de  31,6 quilômetros para 43,Km – há ainda outros 4,4 quilômetros em execução. Já o número de estabelecimentos voltados à comercialização ou reparos de bicicletas na cidade de Santos teve um crescimento de 78%,. Em 2012 a cidade tinha 24 lojas, atualmente são 42. Também houve um grande crescimento na prestação de serviços com  o número de oficinas passando de 17 para 31.

Outro setor que aponta crescimento na utilização de bicicletas e tem relação direta com a economia da cidade é o das entregas. A empresa Carbono Zero Courier, com sede na capital paulista mas que também atua nas ruas de Santos tem 12 colaboradores. “Santos é propícia ao ciclismo. Requer deslocamentos menores que os feitos em São Paulo. E, quanto mais ciclovias houver, maior será a conscientização da população sobre esse tipo de transporte”, diz Leonardo Lorentz, um dos proprietários.

O benefício das bicicletas às finanças públicas pode ir além da área comercial. Segundo estudo realizado em 2014 pela revista científica norte-americana Environmental Health Perspectives, o investimento em sistemas cicloviários podem gerar um retorno de seis a 24 vezes maior, inclusive por meio do setor da saúde pública, devido à redução da poluição.

“Todas as grandes cidades têm emissão excessiva de monóxido de carbono, o que é prejudicial às pessoas”, explica a pneumologista da rede municipal Fabíola Rodrigues, que cita bronquite e asma como alguns dos casos mais recorrentes nos prontos-socorros. Ela lembra, ainda, que pedalar melhora o preparo físico.

O aumento do uso da bicicleta como meio de transporte vem exigindo medidas de adequação não apenas por parte do poder público. A Universidade Santa Cecília, no bairro do Boqueirão, que oferecia 190 vagas em bicicletários até 2015, mais que dobrou a capacidade do estacionamento para bicicletas, hoje são 500 vagas. O incremento de 2,6 vezes das vagas nos bicicletários da Universidade, em menos de dois anos,  veio para atender a demanda de alunos e professores. Segundo a assessoria de imprensa da instituição, a ocupação das vagas é de 90% pela manhã e 100% à noite. E já há estudos por parte da direção para uma nova ampliação.

Com o tempo, empresas de outros ramos devem oferecer mais espaço para as bicicletas, acredita o presidente da Associação Brasileira de Ciclismo, Jessé Félix. “A tendência é que o comércio também entre nessa onda de paraciclo”.

A propensão da população a aderir às pedaladas é confirmada por Amim Lascane Sobrinho, proprietário da oficina Cycle Club, localizada no Gonzaga. Segundo ele, o perfil da clientela mudou. “Antes, vinha o pessoal que usava a bicicleta para treinar. Agora, já são os que a usam para ir à escola, trabalhar e outros pequenos deslocamentos”.

fotos: Tadeu Nascimento/Divulgação-Pref. Santos

(Prefeitura de Santos)

Admin

11 Outubro 2017

Mercado

Comentários

Destaque

Ciclovia do Sol atende a uma antiga reivindicação de ciclistas e ativistas da região metropolitana de Natal. A obra separa ciclistas de veículos, além disso há espaço específico no acostamento da estrada para aqueles que querem pedalar de forma desportiva e realizar seus treinamentos