O IMPACTO POSITIVO DA BICICLETA NA ECONOMIA DA ALEMANHA

O IMPACTO POSITIVO DA BICICLETA NA ECONOMIA DA ALEMANHA

Um estudo divulgado no final do mês de fevereiro pelo InstituTo Wupertal para Clima, Meio ambiente e Energia apresenta a importância da bicicleta na economia da Alemanha, empregando em 2019 nos diferentes setores do meio ciclístico cerda de 281 mil pessoas e gerando um volume de negócios, em 2018, da ordem de 255 bilhões de reais

Possuir uma infraestrutura adequada e a cultura do turismo em bicicleta geraram naquele pais, em 2019, cerca de 204 mil postos de trabalho,  tornando as atividades ligadas ao cicloturismo como a maior indústria do setor; enquanto a produção, comercio e serviços geram os outros 66 mil empregos, mas foi justamente nesses três setores que se notou o maior crescimento de postos de trabalho, aumentando 20% em comparação com  2014 quando o setor tinha 55 mil empregados.

O estudo lança um olhar sobre as discussões que sempre surgem quando se apresentam os desafios da transição da mobilidade e seu possível impacto no setor automotivo com a perda de empregos em uma indústria que na Alemanha tem grande relevância .

O relatório publicado recentemente intitulado  ‘Estudo setorial sobre a economia da Bicicleta na Alemanha’ do Instituto Wuppertal e do Instituto para o Trabalho e Tecnologia da Universidade de Westphalian de Ciências Aplicadas examina os números do emprego nos subsetores da economia do bicicleta, bem como o desenvolvimento de volume de negócios gerados por ela.

Em termos de impacto na economia alemã, o estudo mostra um volume de negócios tributável, em 2018, da ordem de aproximadamente 37,7 bilhões de euros (um valor aproximado a 255 bilhões de reais). A maior participação está no comercio atacado e no varejo de bicicletas (€ 16,7 bilhões ou R$ 112,73 bi) a seguir vem o cicloturismo com (€ 11,6 bilhões ou R$ 78,3 bi).

Em um período de cinco anos, entre 2013 e 2018, houve um crescimento impressionante no faturamento com um salto que supera 600% no setor de serviços ligados à bicicleta.  O estudo revela que esse crescimento tem relação direta à introdução de benefícios fiscais para a compra de bicicletas (e a maior taxação dos veículos automotivos) fornecidas pelas empresas a seus funcionários e o incremento dos negócios de leasing para aquisição de e-bikes (bicicletas elétricas a pedalada assistida).

“A e-bike é um claro impulsionador do crescimento”, enfatiza o Dr. Frederic Rudolph, pesquisador sênior do Departamento de Mobilidade e Cooperação Internacional do Departamento de Energia, Transporte e Política Climática do Instituto Wuppertal e líder do estudo. . O cicloturismo também desempenha um papel significativo. Passeios e turismo de férias em bicicleta, na Alemanha, não estão na moda apenas desde o início da pandemia de Covid 19, essas atividades só ganharam maior força. O cientista acrescenta que a tributação cada vez mais ecológica imposta aos veículos das empresas/corporativos é decisiva para o crescimento do setor.

O relatório só intensifica a importância do setor e a reflete que investimentos em infraestrutura para uso da bicicleta produzem impactos positivos na economia e na sociedade. O estudo foi encomendado pelas três associações industriais da Alemanha ligadas ao setor.

fotos: Pexels - Pixabay

(ECF - European Cyclists Federation )

Admin

04 Março 2021

Mercado

Comentários

Destaque

Confinamento e necessidade de praticas esportivas ao ar livre, levaram , em todo mundo, a um aumento pelo interesse no esporte a pedal. Dados foram revelados pela Velon, empresa que cuida dos interesses das principais equipes do pelotão World Tour.