PROJETO CICLISMO CURITIBA ESTIMULARÁ A PRATICA DA MODALIDADE DA INFÂNCIA ÀS COMPETIÇÕES

PROJETO CICLISMO CURITIBA ESTIMULARÁ A PRATICA DA MODALIDADE DA INFÂNCIA ÀS COMPETIÇÕES

Projeto apresentado no final do mês de abril,  coloca a capital paranaense à frente de outras cidades do país quando o assunto são as políticas públicas voltadas para a prática do ciclismo e do uso da bicicleta. Denominado Ciclismo Curitiba, o novo projeto foi trabalhado por várias pessoas com forte ligação histórica com a modalidade e  beneficiará entidades e esportistas com a realização um novo calendário de competições na cidade; a proposta vai contemplar diversas categorias, desde a iniciação esportiva para crianças até alta performance

 

A capital paranaense poderá estar saindo à frente de outras cidades do país ao apresentar um programa para o desenvolvimento do ciclismo. O projeto foi  desenvolvido e terá a coordenação da Secretaria Municipal do Esporte, Lazer e Juventude (Smelj). Na essência o programa buscará estimular a prática do ciclismo desde a infância até as competições de alta performance e é baseado em quatro eixos: ciclismo escolar, ciclismo como forma de lazer, ciclismo como atividade física e ciclismo de rendimento.

Durante a apresentação do projeto, o secretário municipal do Esporte, Lazer e Juventude, Emílio Trautwein, ressaltou que a iniciativa contempla diversas categorias e envolve crianças, adultos e idosos. “É um trabalho de um ano desenvolvido pela secretaria em diálogo com a comunidade”, destacou. "O Ciclismo Curitiba vai desde o aprender a andar de bicicleta até a parte do alto rendimento”.

Além das vertentes competitivas, o ciclismo recreativo é um forte componente do programa. Atualmente, a Prefeitura promove o programa Pedala Curitiba nas dez regionais da cidade. “Quando prefeito Rafael Greca assumiu o cargo eram somente quatro regionais”, lembrou Trautwein. O Pedala Curitiba é um passeio noturno que estimula a prática de atividades físicas e incentiva o uso da bicicleta como meio de transporte.

Estiveram no evento de lançamento do projeto representantes de federações, poder público e clubes e atletas, que manifestaram o entusiasmo com as novidades. O presidente da Federação Paranaense de Ciclismo, Eduardo Pereira, ressaltou a importância do trabalho em parceria. “Estamos construindo o esporte de base e isso é fundamental para o Estado do Paraná”, afirmou.

O primeiro eixo do programa é o ciclismo escolar, focado na iniciação esportiva e no desenvolvimento dos fundamentos e habilidades. Para isso, a modalidade será inserida nos Jogos Escolares e será feito o Festival EE10 envolvendo as escolas municipais. O festival vai possibilitar às crianças conhecerem o centro de treinamento da equipe permanente da Smelj, além disso será realizadas atividades familiares e de desenvolvimento motor.

O segundo,  é o ciclismo como forma de lazer, que tem o objetivo o despertar do gosto pelo ciclismo e de fomentar o uso da bicicleta para atividades recreativas. Por ele serão promovidas atividades educativas e passeios ciclísticos, como o do aniversário de Curitiba. O passeio é uma atividade aberta à população, com formato recreativo e orientações de trânsito.

O terceiro eixo é ciclismo como atividade física, voltado para promoção da saúde e qualidade de vida. Nele serão feitas ações sistemáticas monitoradas, como o Pedala Curitiba. O programa propõe o Tour Curitiba, que vai unir os participantes do Pedala Curitiba em um circuito com exigência física um pouco maior.

O último eixo é ciclismo de rendimento que tem foco no desenvolvimento de atletas, na formação de equipes e na realização de competições. O programa cria um calendário de provas para as diversas disciplinas do ciclismo.

Participaram o diretor de esporte da Smelj, Carlos Pijak, o coordenador de ciclismo da Smelj, Adir Romeo, a técnica da equipe permanente de Curitiba, Fabiana Ribeiro de Assis, o coordenador do programa Pedala Curitiba, Marcelo Miranda, e o coordenador de desempenho da Smelj, Maurício Broca.

Fotos: Cesar Brustolin/SMCS

(Agência de Notícias – Pref, de Curitiba)

Admin

02 Maio 2018

Mobilidade

Comentários

Destaque

Um novo relatório sobre bicicletas elétricas foi apresentado pela Navigant Research, nele há indicações de que até 2025, as vendas de e-bikes (bicicletas elétricas) poderão gerar uma receita anual de US $ 24,3 bilhões.